Comer todos os tipos de comida e manter o peso não é uma combinação que soe muito razoável, mas quando você atinge o ponto em que passa a prestar atenção às suas escolhas, as coisas acabam por se ajustar e o mesmo acontece com o seu peso.

Total Shares 0

É o meio do dia no escritório. Uma funcionária está irritada depois de uma discussão com o seu chefe e corre para a máquina vendedora em busca de algum petisco que a ajude a relaxar. Uma colega, que está ao seu lado, está exausta depois de ter passado a noite em claro com seu bebê, e se consola com um saco de salgadinhos. Outra funcionária adora comer um biscoito junto com seu café (que acabou de beber há pouco) mas o pacote de biscoitos ainda está por lá,  e outra colega orgulha-se das cenouras que cortou e preparou em casa, mas está enervando a todas  com o ruído que faz ao mastigar. Essa situação lhe parece familiar?  É comum que as pessoas comam, mesmo que não tenham fome, e o ato de beliscar, na maioria das vezes, não está relacionado com a fome.
Na maioria das vezes as pessoas comem para superar algum sentimento desagradável como a raiva, tristeza, etc. As pessoas têm dificuldade, também, em aceitar o fato de que poderiam guardar esse sentimento e buscam por uma solução imediata. O fato é de que o sentimento iria embora por si mesmo mesmo sem a procura imediata por comida.

Comendo através de seu subconsciente
Você pode decidir por uma abordagem diferente para relaxar, mas é importante compreender que não é terrível ser um comedor emocional, na medida em que você faça isso conscientemente sem prejudicar uma dieta balanceada e manter o peso desejado.
E se você pensa que está no comando da escolha do que comer só porque você “se sente assim”, saiba que muitas das nossas ações, e comer está entre elas, estão conectadas com o nosso subconsciente, hábitos e comportamentos adquiridos.

Um filme que mostra uma menina triste depois de um rompimento, sentada na cama com uma tigela de sorvete nas mãos, faz com que as pessoas pensem que o consumo de alimentos de conforto seja aceitável e normal. No entanto, quando isso passa a ser um padrão repetitivo,  é de suma importância dar-se atenção ao fato e questionar o que realmente desejamos que a comida faça e qual a necessidade que ela está preenchendo e, obviamente, tratar do que nos está incomodando.

Evite a Auto-Crítica

Na maioria dos casos, quando as pessoas querem perder peso, elas abrem mão de alguns alimentos que são considerados engordativos e acreditam que este é o caminho para atingir o peso desejado, mas o resultado é que acabam visitando a cozinha com maior frequência.
Ao invés de evitar certos tipos de alimentos seria melhor “acostumar-se” a eles, e incluí-los como parte de sua rotina diária. Quando você decide abrir mão de certos alimentos, o que você realmente está fazendo é pensar nessa comida. Outro engano comum é a auto-punição – dizendo coisas do tipo – porque comi aquilo, sou uma porca, porque não consigo me controlar, etc. É fundamental eliminar a crítica e olhar para os fatos sem auto-punição.

E o que acontece quando você está alisando os cantos do bolo ou procurando por alguma coisa doce?
É importante alimentar-se de uma forma organizada e não “beliscar” isso ou aquilo, ou comer os restos dos pratos das crianças. Por outro lado, se todos os dias às três da tarde no trabalho  você procura  por alguma coisa doce, é importante entender se isso acontece porque você está entediada ou simplesmente esperando a hora de ir para casa, ou existe uma necessidade real de ingerir algo doce. Onde há entendimento, há escolha. É muito importante estar atenta às suas emoções e escolhas – por que estou comendo? Porque estou com fome ou por qualquer outra razão?

Você tem a liberdade de comer o que quiser quando o seu corpo dá sinais de que está com fome. É claro que é importante consumir porções razoáveis, reguladas através da sensação de saciedade, e mesmo se você pagou por uma refeição em um restaurante mas já se se sente saciada , não deve continuar comendo só porque pagou. O segredo é entender o que melhor funciona para você e comer dessa forma.

Aprenda a criar refeições fáceis com o Clube Slim Down.

Total Shares 0

Comentários 3

    • Profile photo of Sabrina Wertzner

      Olá Luiza,
      Há diversos fatores que estão envolvidos no ganho ou perda de peso além da alimentação.
      Nosso organismo é regulado através de hormônios, sendo parte deles envolvidos na sensação de fome e saciedade, aumento ou diminuição do trânsito gastrointestinal, regulação do fluxo sanguíneo e permeabilidade, dentre outros, além disso, fatores psicológicos afetam a digestão estimulando o hipotálamo, que por consequência o sistema nervoso autônomo que age sobre o intestino, acelerando ou retardando o trânsito.
      Ao iniciarmos uma nova forma de se alimentar mexemos tanto com nosso psicológico quanto com a regulação hormonal. Com o tempo, melhor apropriação da dieta e adesão à exercícios físicos (que tem um papel essencial no gasto energético, alívio do estresse, liberação de hormônios que oferecem prazer, e auxílio do trânsito gastrointestinal) a perda de peso deve ocorrer.

Deixe uma resposta